fbpx
chega-de-se-perguntar-anemia-pode-virar-leucemia-1200x461.png

26 de junho de 2020 Equipe CONCON0

Obtenha mais informações sobre o tema da nossa próxima Live CON!

Muitas pessoas se questionam: “anemia pode virar leucemia?” e é muito importante alertar que isso não é possível, mas as duas anomalias têm uma relação. 

 

A anemia não é considerada uma doença e se dá pela redução dos glóbulos vermelhos, fazendo com que exista uma menor oxigenação no organismo. 

 

Vale ressaltar que, quando não existe um tratamento eficiente para a anemia, ela pode se tornar algo grave, fazendo com que exista um cansaço excessivo em pequenas atividades diárias.

 

Já a leucemia atinge os glóbulos brancos, também presentes no sangue, sendo um dos tipos de câncer. Ela faz com que a produção dos glóbulos brancos, plaquetas e glóbulos vermelhos seja reduzida, ocasionando em sintomas como:

 

  • Cansaço e fraqueza;
  • Infecções frequentes;
  • Sangramento na gengiva e nariz;
  • Manchas roxas ou pontos vermelhos na pele;
  • Inchaço e/ou desconforto no abdômen;
  • Perda de peso.

 

É essencial que um médico de confiança seja consultado caso existam queixas dos sintomas listados acima. 

 

Uma pessoa com leucemia, facilmente pode desenvolver anemia, mas não o contrário! 

 

Caso um paciente com anemia seja diagnosticado com leucemia, isso não ocorreu por uma “evolução” do problema de saúde. O que acontece é que a anemia pode ser um dos sintomas da leucemia. Fique atento!

 

Pensando em desmistificar algumas informações equivocadas e acabar com as dúvidas, os médicos Dra. Adrienne Moreno e Dr. Yung Gonzaga, Hematologista e especialista em transplante; Hematologista do CON, respectivamente, estarão presentes em mais uma Live CON, agora sobre como identificar a anemia e leucemia nos pacientes.

 

A Live acontecerá no nosso canal do YouTube, no dia 01 de julho, às 16h. Você é nosso convidado especial, por isso, não deixe de participar enviando suas perguntas aqui nos comentários e compartilhando essa informação com quem poderá se interessar pelo tema.

 

E, caso você já tenha realizado algum tipo de consulta e precisa ser encaminhado à profissionais oncológicos e/ou hematológicos, estamos atendendo via Telemedicina. Acesse clicando no banner abaixo!

 


alerta-vacinas-para-pacientes-com-cancer-o-que-voce-precisa-saber.png?time=1594150508

22 de junho de 2020 Equipe CONCON0

Obtenha informações relevantes sobre o tema e cuide da sua saúde!

A vacina é um método muito eficaz para proteção não só dos indivíduos que a recebem, mas também para o grupo em que ele se insere. 

Elas existem para prevenir doenças de natureza infecciosa e agem de forma a induzir o corpo a se proteger. Neste sentido, devemos nos atentar às medidas de cuidado em relação às vacinas para pacientes com câncer

As vacinas podem ser divididas em dois grupos: vacinas inativas e vacinas vivas. Sendo de extrema importância que o paciente com câncer conheça essa diferença para um melhor cuidado com a sua saúde

Vacinas Inativas: são vacinas compostas de microorganismos mortos, ou seja, os vírus e bactérias são mortos ou inativados tornando-se incapazes de apresentar poder infeccioso. Dessa forma, eles induzem a produção de anticorpos sem afetar o sistema imunológico do paciente.

 

 Não há contraindicações para pacientes oncológicos

O Ministério da Saúde recomenda que essas vacinas sejam dadas pelo menos 2 semanas antes do início dos cuidados, através de quimioterapia e radioterapia, de forma a garantir eficácia na proteção do paciente. 

Atenção! As vacinas inativas não devem ser tomadas durante o tratamento quimioterápico, pois o organismo pode não produzir defesa. 

Vacinas Vivas: são vacinas de microrganismos vivos atenuados (bactérias e vírus) e não são recomendadas quando nosso corpo não possui uma resposta imunológica, ou seja, está mais suscetível a contrair algum tipo de doença. 

Sendo assim, esse tipo de vacina não é recomendada aos pacientes com câncer, considerando que seu sistema imunológico já está enfraquecido. 

Dessa forma, ao injetar os organismos vivos, pode-se aumentar o risco do organismo gerar novas doenças nos pacientes, tais como: Febre Amarela, Zoster, Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola), Tetra Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela) e Varicela. 

É recomendado que as vacinas vivas sejam tomadas 4 semanas antes do início da quimioterapia, ou no período de três a seis meses após o término do tratamento

 

Vacinas para pacientes com câncer, saiba quais são as prioritárias

Existe uma lista de vacinas recomendadas para prevenção de pacientes oncológicos, são elas: 

  • Hepatite A;
  • Hepatite B;
  • HPV;
  • Meningocócios;
  • Tétano;
  • Difteria;
  • Influenza;
  • Pneumococo. 

 

Dentre elas, as duas últimas se destacam, sendo prioritárias para restabelecer a saúde do paciente.

  • Influenza (vírus da gripe)

Vacina do vírus inativo. Ajuda a reduzir o risco de contração de infecções bacterianas secundárias por exemplo, a pneumonia. 

É recomendado que administre a vacina em dois ciclos de quimioterapia e que dobre-se a atenção quanto aos cuidados de higiene: lavar as mãos com frequência, evitar lugares aglomerados, utilizar álcool em gel nas mãos e usar máscaras de proteção quando necessário. 

  • Pneumocócica

Representa a vacina 13-valente e é gratuita para pacientes com câncer. A vacina consiste nos invasivos tipos de pneumococos e previne contra doenças causadas pela bactéria Streptococcus pneumonial, esta que pode afetar a saúde do paciente ao desenvolver doenças como pneumonia, amigdalite, otite (infecções do ouvido), e bacteremia (infecção sanguínea grave). 

Caso o paciente tenha recebido a dose 23-valente do pneumococo, só pode se vacinar com a 13-valente um ano após essa dose. 

Alerta! Caso o paciente tenha sido vacinado com a dose 10-valente, deverá terminar o ciclo vacinal com a mesma vacina, não devendo misturar com outros medicamentos. 

Tanto a vacina da influenza quanto a pneumocócica são administradas em dose única. 

 

Quais vacinas não são recomendadas e quais cuidados tomar?

As vacinas não recomendadas para tratamento do paciente oncológico são aquelas que apresentam os microorganismos vivos, devendo ser tomadas antes do tratamento quimioterápico. São elas: 

  • BCG;
  • Febre Amarela; 
  • Herpes Zoster; 
  • Poliomielite oral; 
  • Rotavírus; 
  • Varicela; 
  • Tríplice viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola). 

Em caso de contato com indivíduo que tenha sarampo, os especialistas recomendam que pacientes oncológicos entrem em contato com a equipe de infectologistas para que possam analisar caso a caso. 

 

Evite a transmissão cruzada! 

Para garantir uma melhor qualidade de vida e bem-estar ao paciente com câncer, é de extrema importância que os familiares mantenham as carteiras de vacinação em dia e tomem certos cuidados.

Garantindo a sua imunização, evita-se a transmissão cruzada, ou seja, a transferência de microrganismos de uma pessoa para outra, reduzindo, assim, um aumento no risco de infecções bacterianas de nível secundário como a pneumonia, por exemplo. 

Alerta! As vacinas atenuadas afetam a saúde dos pacientes com câncer, por isso os familiares, ao se vacinarem, devem evitar o contato com pessoas em tratamento quimioterápico para não transmitir o agente da doença. 

 

Qual o melhor momento para vacinação

É considerado o momento mais adequado para a imunização dos pacientes com câncer o período antes do início do tratamento oncológico ou entre o intervalo de três a seis meses após o fim do tratamento.

 

Onde o paciente de câncer pode se vacinar?

O paciente com câncer pode se vacinar nos Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIES). No local, as vacinas são disponibilizadas gratuitamente. Para consultar onde fica o CRIES mais próximo da sua casa, verifique o site da Prefeitura de seu estado. 

 

Não posso tomar as vacinas e agora?

  • Garanta que seus familiares e cuidadores estejam vacinados e imunes às doenças de risco; 
  • Lave as mãos com frequência, para evitar o rotavírus, sarampo, caxumba e rubéola, também transmitidas por via oral; 
  • Passe repelente para evitar a contaminação por mosquito;

 

Lembre-se: gestos simples podem fazer a diferença no seu bem-estar.

É importante ressaltar que o CON está atendendo seus pacientes seguindo todos os protocolos e precauções em relação a Covid-19. Além disso, nossos médicos também estão realizando consultas via Telemedicina. Para fazer seu agendamento, basta clicar no banner abaixo:

 

Repassando o que vimos neste post 

  • Para que servem as vacinas;
  • O que são vacinas inativas e vivas; 
  • Quais são as vacinas prioritárias para pacientes com câncer
  • Quais vacinas não são recomendadas;
  • O que é transmissão cruzada; 
  • Qual o melhor momento para vacinação
  • Onde os pacientes podem se vacinar;
  • Quais os cuidados a serem tomados caso não possam se vacinar. 

 


exames-de-rotina-para-pacientes-oncologicos-1.png?time=1594150508

19 de junho de 2020 Equipe CONCON0

Quais são eles e por que são tão importantes?

Exames de rotina para pacientes oncológicos possuem o intuito de oferecer uma melhor qualidade de vida ao indivíduo, fazendo com que ele siga normalmente com seu dia a dia, sem mudanças muito bruscas. 

Afinal, a descoberta de uma neoplasia transforma a vida de qualquer pessoa, alterando a rotina pela necessidade de consultas médicas e exames frequentes.

O diagnóstico precoce é fundamental para auxiliar na prevenção e no tratamento do paciente oncológico a fim de garantir o bem-estar durante todo o processo.

 

A conscientização do câncer é de extrema importância!

Para isso, alguns exames são necessários e devem ser feitos com certa frequência, visando manter a saúde do paciente controlada. 

Com o diagnóstico em mãos, é preciso estruturar o dia a dia para que o tratamento seja feito da forma mais natural possível, e é preciso contar com uma assistência psicológica para auxiliar a ordenar e dar conta de tudo o que era feito antes, mantendo inclusive o lazer, minimizando os impactos da doença. 

Por isso, o CON possui uma equipe multidisciplinar, com diversos profissionais em especialidades diferentes, atuando em conjunto para oferecer aos nossos pacientes uma maior qualidade de vida durante o tratamento: o Programa Integralis.

Após descoberta a neoplasia, é importante tirar todas as dúvidas com o seu médico para que você se sinta tranquilidade e segurança em relação aos próximos passos. 

Esse profissional deve ser de sua confiança e é importante evitar a busca de informações em fontes que não sejam confiáveis, que podem vir a te confundir e, com isso, atrapalhar o seu tratamento e recuperação.

Exames de rotina para pacientes oncológicos

Para iniciar e controlar o processo de restabelecimento da saúde, os pacientes precisam realizar alguns exames de rotina, com o intuito de entender e saber como proceder no seu dia a dia, tais como:

  • Exames de sangue, dependendo da neoplasia;
  • Biópsias;
  • Mamografias;
  • Radiografia;
  • Ressonância magnética;
  • Tomografia computadorizada;
  • Ultrassonografia, dentre outros.

Além dos exames, é necessário manter uma alimentação saudável e balanceada, praticar atividades físicas, evitar bebidas alcoólicas e não fumar.

Aqui no blog, temos um conteúdo voltado para uma possível dieta. Confira dicas de alimentos para pacientes com câncer.

Para que fique mais claro quais são os possíveis exames a serem solicitados pelo seu médico, preparamos uma listagem dos exames de rotina para pacientes oncológicos. Mas vale ressaltar que todos eles dependerão do tipo de neoplasia, tratamento mais aplicável a cada caso e outras questões que somente o médico responsável poderá prever.

São eles:

  • Exames de sangue

Feito com regularidade a cada ciclo de quimioterapia para verificar a imunidade e a contagem de plaquetas. Estando tudo correto, o paciente é liberado para o ciclo seguinte do tratamento.

Dependendo da localização da neoplasia, pode ser mais específico para rastrear os marcadores tumorais:

  • Alfafetoproteína (AFP), para câncer de fígado;
  • Beta gonadotropina coriônica humana (ß-HCG), mulheres com câncer originário na placenta e em homens com câncer no testículo;
  • Beta2 (ß2)-microglobulina, os níveis podem ficar elevados em pessoas com mieloma múltiplo e alguns linfomas;
  • Calcitonina, para câncer medular na tireóide;
  • Antígeno carboidrato 125 (CA-125), para mulheres com câncer no ovário;
  • Antígeno carboidrato 19-9 (CA 19-9), para câncer no pâncreas;
  • Antígeno carboidrato 27,29 (CA 27,29), para câncer de mama;
  • Antígeno carcinoembriônico (CEA), para câncer de cólon;
  • Antígeno específico da próstata (PSA), para câncer de próstata;
  • Tiroglobulina, para câncer da tireóide;
  • Cromogranina A, utilizada como marcador para tumores carcinóides e outros tumores neuroendócrinos;
  • TA-90, subunidade altamente imunogênica de um antígeno associado a tumor urinário.

 

  • Biópsias

Podem ser realizadas de duas formas: através da utilização de uma agulha oca ou com um pequeno corte de bisturi. 

Na maioria das vezes, as biópsias são realizadas sem a necessidade de internação, o procedimento pode ser feito de maneira ambulatorial, evitando hospitais. 

 

A maioria das mulheres sabe ou já ouviu falar em mamografia, um exame que pode ser feito para rastreamento ou acompanhamento de alguma alteração da mama, mesmo que não exista nem um tipo de sintoma. 

Além disso, pode ser feita para confirmar ou extinguir a ideia de alterações em outros exames anteriores, sendo de rotina ou, como dito anteriormente, para rastreamento.

 

  • Radiografia

Indicadas para detectar problemas ósseos, é um exame rápido e de fácil realização. Também consegue fornecer imagens de certos órgãos e tecidos.

 

Outros exames radiológicos, com contraste:

  • Angiografia, arteriografia: artérias de todo o corpo, incluindo as do cérebro, pulmões e rins. Duração: 1 a 3 horas.
  • Pielograma intravenoso: trato urinário (rins, ureteres, bexiga). Duração: 1 hora.
  • Série radiográfica do trato gastrointestinal inferior: cólon, reto. Duração: 30 a 45 minutos.
  • Série radiográfica do trato gastrointestinal superior: esôfago, estômago, intestino delgado. Duração: 30 minutos a 6 horas, dependendo da área que será estudada.
  • Venografia: veias de todo o corpo, geralmente na perna. Duração: 30 a 90 minutos.

 

  • Ressonância Magnética

Além de diagnosticar alguns tipos de câncer, a ressonância magnética é capaz de diferenciar se a neoplasia é benigna ou maligna. 

Também auxilia no planejamento do tratamento, sendo ele radioterápico ou até mesmo cirúrgico.

Com a utilização do contraste é possível visualizar tumores cerebrais ou pode servir para a procura de sinais de disseminação da doença. 

 

  • Tomografia Computadorizada

Sendo um exame não invasivo, é capaz de mostrar a forma, o tamanho e até mesmo a localização do tumor. Também consegue proporcionar a visualização dos vasos sanguíneos que o alimentam, sendo que a imagem gerada no computador pode ser ampliada, com o objetivo da análise de detalhes, o que facilitará a sua interpretação.

 

  • Ultrassonografia

A maioria dos exames de imagem utiliza a radiação ionizante, mas esse não é o caso da ultrassonografia. Nesse caso são utilizadas ondas sonoras de alta frequência, que tocam órgãos e tecidos, produzindo assim, ecos que serão convertidos em imagens.

Tudo isso é realizado em tempo real, onde pode-se observar órgãos, tecidos e até mesmo o fluxo sanguíneo através da tela do computador. 

Esse é um exame ideal para detectar doenças de tecidos moles, que não podem ser “reparados” em exames de radiografia, por exemplo. Além disso, podem distinguir cistos com líquidos e tumores sólidos, pois, nesses casos, são produzidos diferentes padrões de eco. 

 

  • Exames de Medicina Nuclear

Ao contrário das técnicas de imagem convencionais, tem como base a análise da função dos tecidos e de órgãos.

Avalia a doença pela forma como atua do ponto de vista funcional, bioquímico, farmacológico e molecular. Os mais comuns são:

  • Cintilografia óssea: usado em exames de corpo inteiro, especialmente na cintilografia óssea, um exame para detectar a disseminação do câncer;
  • Gamagrafia com Gálio: trabalha na detecção do câncer em diversos tipos de órgão, sendo também utilizado para varreduras de corpo inteiro.
  • Gamagrafia de tireoide: para diagnóstico e tratamento do câncer de tireóide; 
  • Tomografia por emissão de pósitrons (PET scan): responsável por medir variações nos processos bioquímicos. Esses processos podem sofrer alterações antes mesmo de que os sinais se tornem visíveis em exames de tomografia computadorizada e/ou ressonância magnética, por exemplo. 

 

A maioria desses exames é pedido pelo oncologista a fim de saber a melhor forma de tratar a neoplasia e acompanhar a rotina do paciente, controlando o tratamento para que se mantenha uma rotina saudável e aumente a rapidez do restabelecimento da saúde

É importante frisar que cada caso necessita de um acompanhamento diferenciado e individual, para que o médico possa auxiliar no restabelecimento da saúde e do bem-estar nesse momento da vida do paciente, visto que os tipos de câncer são os mais diversos e cada pessoa reage de uma forma ao tratamento, dependendo de sua fisiologia e do seu estado psicológico.

Daí a importância de se manter um acompanhamento completo, em diversos âmbitos da vida do paciente, a fim de diminuir os impactos da doença na rotina do indivíduo.

Fique sempre em dia com seus exames e não hesite em procurar seu médico caso surja qualquer tipo de dúvida!

Para garantir que a sua saúde seja mantida em dia, estamos atendendo através da teleconsulta, onde você poderá agendar normalmente a sua consulta com um de nossos médicos e ser atendido sem sair de casa!

Afinal, mesmo em isolamento social, é importante manter a sua rotina de exames, além das consultas periódicas. Caso seja extremamente necessária uma visita ao CON, não se preocupe! Estamos seguindo todos os protocolos e tomando as precauções necessárias para que você esteja seguro com a gente.

Agende a sua consulta clicando no banner abaixo:

 


previna-se-do-cancer-de-pele-mesmo-estando-em-casa.jpg?time=1594150508

5 de junho de 2020 Equipe CONCON0

Aproveite este maior período em casa para se cuidar e atente-se aos sinais da pele. 

 

Você sabia que o câncer de pele é o mais frequente no Brasil e o melanoma é um dos tipos mais graves?

O câncer de pele responde por 33% de todos os diagnósticos dessa doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos. 

O tipo mais comum, o câncer de pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém, seus números são altos e a exposição inadequada ao sol aumenta a possibilidade desse tipo de câncer.

Embora a atual situação imposta pela Covid-19 traga consequências como o isolamento social e, assim, uma menor exposição ao sol, ainda devemos manter a nossa atenção em medidas preventivas. O maior órgão do corpo humano necessita de atenção especial durante todo o ano.

Os tipos mais comuns da patologia são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. O mais raro é o melanoma, que também é o mais agressivo e letal.

Durante o verão, os tipos de neoplasia que atingem a pele ganham destaque na imprensa e sites especializados. Afinal, é uma época do ano em que a exposição ao sol ocorre de forma intensa.

Mas você pode estar se perguntando “por que falar sobre câncer de pele em tempos de isolamento social?”. Afinal, em um primeiro momento, pode não parecer relevante abordar o assunto. No entanto, o cenário atual não descarta a sua importância, porque prevenção e informações são fundamentais.

 

Pandemia reduz procura no atendimento para câncer de pele e outros tipos

Segundo estimativas das Sociedades Brasileiras de Patologia e de Cirurgia Oncológica, pelo menos 50 mil brasileiros não receberam o diagnóstico de câncer desde que a pandemia da Covid-19 começou.

Além disso, milhares de pessoas que já receberam o diagnóstico da neoplasia se depararam com a suspensão dos tratamentos. 

De acordo com os dados, houve o adiamento de aproximadamente 70% das cirurgias de câncer.

Nós, do CON, somos um centro de saúde que caminha lado a lado com os avanços tecno-científicos, com unidades modernas, confortáveis e acolhedoras. 

Desde o início do decreto de isolamento, estamos implementando as melhores ações para evitar a disseminação do vírus, realizando as seguintes atividades:

 

#Telemedicina:

Estamos realizando algumas consultas pela nossa Plataforma de Teleconsulta.

Oferecemos aos pacientes que estejam em acompanhamento oncológico ou hematológico um canal por WhatsApp ou e-mail (assistentedocliente@con.com.br) para o envio de exames que serão avaliados pelos respectivos médicos assistentes.

Oferecemos aos pacientes sintomáticos respiratórios um canal por telefone ou WhatsApp para realização de triagem, com enfermeiro e posterior direcionamento à equipe médica.

 

#Logística

Reforçamos a coleta domiciliar de exames laboratoriais.

 

#Atendimento

Restringimos a apenas 1 acompanhante por paciente, para aqueles que tiverem consulta ou tratamento.

E para você, que precisar sair de casa por algum motivo essencial, estamos listando dicas importantes abaixo, para que continue cuidando da sua saúde e se prevenindo do câncer de pele.

#1 – Se você precisa sair durante o dia, preste atenção ao horário!

Sempre vale lembrar que o indicado é se expor ao sol antes das 10h e após às 16h.

A exposição aos raios ultravioleta é um dos principais fatores de risco para a maioria dos melanomas, por isso, todo cuidado deve ser tomado, especialmente se você possuir pele e olhos claros.

Outra alternativa a ser considerada é procurar lugares com sombra e adotar outros meios de prevenção (iremos falar a seguir!).

E, claro, não deixe de utilizar máscara quando sair de casa e respeitar a distância entre as demais pessoas na rua.

#2 – Se você gosta de tomar banho de sol

Várias pessoas gostam de tomar banho de sol na varanda, na sacada ou até aproveitar os raios que entram pela janela. Talvez você seja uma delas!

Mas, certamente, o fato de estar em um ambiente domiciliar pode gerar descuido em relação à pele. Por isso, vamos reforçar uma dica que é amplamente divulgada: utilize protetor solar!

Preste atenção ao fator de proteção do item e lembre-se de utilizar e retocar o filtro sempre, principalmente após suar ou se molhar.

Aliás, essa dica também vale para os lábios: utilizar um protetor labial com proteção solar também é importante para a prevenção do melanoma.

#Dica: o indicado é que você esteja com a palma da sua mão virada para o sol entre 5 e 10 minutos. Sentiu que a região quente? Seu corpo já está sintetizando a vitamina!

#3 – Como anda o seu sistema imunológico?

Em primeiro lugar, é importante entender como atuam as defesas do nosso organismo. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA):

“No organismo, existem mecanismos de defesa naturais que o protegem das agressões impostas por diferentes agentes que entram em contato com suas diferentes estruturas. Ao longo da vida, são produzidas células alteradas, mas esses mecanismos de defesa possibilitam a interrupção desse processo, resultando em sua eliminação.

A integridade do sistema imunológico, a capacidade de reparo do DNA danificado por agentes cancerígenos e a ação de enzimas responsáveis pela transformação e eliminação de substâncias cancerígenas introduzidas no corpo são exemplos de mecanismos de defesa.”

Para ler este conteúdo completo, clique aqui.

Durante o período de pandemia do coronavírus, é comum que as pessoas fiquem mais relaxadas com a alimentação e os cuidados com a saúde. Consequentemente, elas acabam adotando uma vida mais sedentária.

Para ajudar no fortalecimento do seu sistema imunológico e aumentar a sua qualidade de vida, principalmente em um momento em que podem surgir sentimentos como insegurança e ansiedade, nós preparamos um conteúdo especial!

Fizemos uma série de vídeos de Yoga especialmente para você praticar em sua casa. Todos podem praticar os exercícios e a melhor parte é que eles podem ser executados até mesmo em cima da cama. Confira agora:

 

Comece a se cuidar hoje!

Agende uma consulta! O CON está pronto para receber você e tirar todas as suas dúvidas.

Vale ressaltar que, durante a pandemia, nossas unidades estão trabalhando com atendimento realizado pela telemedicina, onde você poderá se consultar de forma on-line, sem a necessidade de sair de casa! Clique aqui para realizar o seu pré-agendamento.

Lembre-se: mesmo em períodos de isolamento social e com menor exposição ao sol, os cuidados com a pele não podem parar!

Não deixe de conferir outros artigos sobre o assunto:

Repassando o que vimos neste post

  • Até mesmo durante o isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus você deve tomar cuidado com os seguintes aspectos: Precisou sair de casa? Observe o horário. Vai tomar banho de sol na varanda? Use o protetor solar. 
  • Cuide do seu sistema imunológico: você irá prevenir diversas doenças e neoplasias.
  • Aproveite o uso da tecnologia a seu favor: utilize nossos canais de atendimento para tirar as suas dúvidas e marcar consultas.

dia-mundial-do-combate-ao-fumo-apague-essa-fumaca-1.png?time=1594150508

29 de maio de 2020 Equipe CONCON0

Do cultivo do tabaco ao consumo, o cigarro é um hábito que precisa ser eliminado. Conscientize-se hoje mesmo!

Criado em 31 de maio de 1987, o Dia Mundial do Combate ao Fumo foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com o objetivo de gerar conscientização sobre os impactos do tabagismo à saúde.

Afinal, são cerca de 50 doenças que podem ser causadas pelo cigarro, além de 4.700 substâncias tóxicas inaladas pela pessoa que está fumando. Sem contar que a fumaça também é prejudicial a quem está no mesmo ambiente.

Por isso, todos os anos, diferentes órgãos e hospitais, por exemplo, se mobilizam para realizar campanhas de combate ao tabagismo. A conscientização é a arma mais importante para a prevenção de doenças causadas pelo cigarro! 

Talvez você já tenha fumado algumas vezes e esteja pensando agora: “mas eu não tenho nenhum tipo de vício em cigarro” ou “eu só fumo de vez em quando, não é nada demais”. Ainda assim, é muito importante prestar atenção neste artigo e nas informações que iremos divulgar a seguir. 

Esperamos que este texto conscientize você, que:

  • Fuma todos os dias;
  • Fuma ocasionalmente;
  • Fumou apenas uma vez ao longo da sua vida.

Boa leitura!

Para começar, vamos falar sobre as substâncias do cigarro

Reforçando o que falamos acima, o cigarro possui milhares de substâncias tóxicas que são extremamente prejudiciais à sua saúde, além de afetar quem está próximo da fumaça. 

Vamos citar, a seguir, alguns dos principais componentes e explicar os problemas relacionados ao seu contato com o organismo. Veja: 

  • Nicotina: é a substância mais conhecida, responsável por provocar dependência e causar problemas cardíacos e vasculares. Ela está presente em diversos derivados do tabaco, como charuto e narguilé.
    • Como ela age: a nicotina é capaz de produzir alterações no Sistema Nervoso Central, causando a sensação de prazer e modificando o comportamento humano, assim como ocorre em drogas como a cocaína.
  • Monóxido de carbono (CO): você leu certo! Presente no escapamento dos veículos, o gás é o item mais abundante do cigarro. 
    • Como ele age: o CO impacta na redução do transporte de oxigênio no corpo, uma vez que se liga às hemácias de forma permanente. Também é o responsável pelas dores de cabeça que muitos fumantes sentem após horas de abstinência.
  • Plutônio: esse metal é considerado a substância mais radioativa do cigarro. 
    • Como ele age: possui efeito cumulativo e é comumente associado ao câncer de pulmão, além de prejudicar os rins.

Mencionamos apenas três substâncias entre as milhares que podem trazer algum tipo de prejuízo à sua saúde. Imagine se falássemos sobre todas…

Dia Mundial do Combate ao Fumo: um motivo a mais para você apagar essa fumaça

A data representa mais uma ação de conscientização sobre a importância em largar o cigarro e quaisquer itens que possuam tabaco.

Entendemos que é um desafio realizar uma mudança como essa e que ela exige muita força de vontade, mas acreditamos que você consegue apagar de vez o tabaco da sua vida!

Para continuar a reflexão, vamos falar sobre os impactos gerados pelo fumo em diferentes aspectos. Afinal, o tabagismo não afeta apenas a sua saúde. 

Confira:

A nicotina e você

Quantas vezes você já ouviu falar que fumar dá câncer? Várias, certo?

Avisos nos maços de cigarros e campanhas realizadas sempre alertam para o risco de desenvolver a doença. 

Aliás, parar de fumar é o primeiro item na lista de ações que devem ser realizadas para obter maior qualidade de vida.

Segundo o INCA, no Brasil, mais de 23 mil pessoas morrem por ano por câncer de pulmão, enquanto 26 mil falecem por outros tipos de câncer. Esse é um tipo de estatística que ninguém deseja fazer parte!

Por isso, cuide da sua saúde e não tenha receio de pedir ajuda para abandonar esse hábito tão prejudicial!

Aos outros: tabagismo passivo

Ao fumar, você não prejudica apenas a sua saúde: quem está ao seu redor também sofre com os efeitos do cigarro.

No Brasil, são quase 18 mil mortes por ano causadas pelo tabagismo passivo

A fumaça do cigarro é altamente cancerígena e possui, entre diversos componentes, o alcatrão: trata-se de um composto que leva mais de 40 substâncias diferentes, inclusive radioativas.

Vale lembrar que crianças e bebês possuem um risco ainda maior de desenvolver problemas de saúde decorrentes da fumaça do cigarro. 

Quando pensamos em mulheres grávidas, é importante reforçar que a fumaça pode trazer consequências ao bebê. 

Ou seja, apagar essa fumaça é uma questão de saúde para todos!

E a natureza?

Até mesmo o meio ambiente é prejudicado com o cigarro!

Do cultivo até após o consumo, existem diferentes situações que mostram o quão prejudicial o cigarro pode ser. Segundo o INCA:

  • Ocorre a contaminação do ar quando são aplicados agrotóxicos na plantação de tabaco;
  • A queima de madeira que ocorre para o processo de secagem das folhas libera partículas tóxicas;
  • Ocorre o desmatamento de árvores para esse processo citado no último tópico;
  • O cigarro leva em torno de cinco anos para se decompor. Imagine quantos filtros são atirados em jardins, mares, rios e florestas todos os dias!

Outro ponto que não podemos deixar de abordar é o risco de incêndios! Há casos de pessoas que não apagaram o cigarro ao descartá-lo ou até mesmo que dormiram com ele aceso. 

Além da poluição do ar causada pela fumaça multiplicada, descartar o cigarro aceso também gera um sério risco. É preciso atenção constante e uma atitude preventiva!

Precisamos falar, também, sobre a Covid-19

No momento atual, não podemos deixar de falar sobre a Covid-19.

Com alto índice de contágio, o coronavírus possui uma chance ainda maior de afetar a saúde de quem está nos grupos de risco da doença.

Quando falamos em tabagismo, vale lembrar que o ato de fumar compromete de forma séria os pulmões. E a Covid-19 também pode afetar a capacidade pulmonar.

Ou seja, quem não fuma possui menos riscos de desenvolver a doença de forma severa.

Repassando o que vimos neste post

  • O Dia Mundial do Combate ao Fumo foi instituído pela OMS com o objetivo de gerar conscientização sobre os impactos do tabagismo à saúde;
  • São cerca de 50 doenças e 4.700 substâncias tóxicas inaladas pelo fumante;
  • A nicotina e o monóxido de carbono são algumas dessas substâncias;
  • Fumar não afeta apenas a sua saúde: traz consequência ao organismo de outras pessoas (fumantes passivos) e até à natureza;
  • Apague essa ideia hoje mesmo!

Escolha viver uma vida mais saudável hoje!

Parar de fumar não é a única ação de prevenção do câncer.

Existem diversas atitudes que você pode adotar para levar uma vida mais saudável e prevenir diversas doenças:

  • Adote uma alimentação saudável;
  • Pratique exercícios físicos de forma regular (lembrando que eles devem ser realizados em casa durante este período de quarentena);
  • Evite a exposição prolongada ao sol;
  • E mais!

Acesse o link a seguir para ver o conteúdo completo sobre esse assunto:

Caso você apresente algum sintoma suspeito, já sabe: procure o seu médico ou agende uma consulta com a gente. 


yoga-para-todos-7-exercicios-que-voce-pode-fazer-hoje-1200x676.jpg

14 de maio de 2020 Equipe CONCON0

Aumente a sua qualidade de vida com os benefícios que as práticas podem agregar à sua rotina.

Namastê! Conhecido por muitas pessoas por suas posturas complexas, na verdade existem práticas de yoga para todos.

São várias modalidades e exercícios, com diversos níveis e finalidades, mas, certamente, você pode começar a praticar hoje, se desejar!

Com poucas semanas de atividade, os benefícios são percebidos pelos praticantes e até mesmo por seus amigos e familiares. Alguns destaques são: 

  • Aumento da sensação de bem-estar;
  • Melhora na respiração;
  • Qualidade no sono;
  • Aumento da autoestima e na imunidade.

E se você acha que precisa preparar um ambiente específico para começar a praticar, saiba que não é necessário! Alguns exercícios de yoga podem ser realizados até mesmo na cama, inclusive por pessoas que possuam algum tipo de limitação. 

Ou seja, até mesmo durante a quarentena, neste momento de isolamento social que nós estamos vivendo, você pode dar início à sua atividade de condicionamento físico e energético.

Pensando nisso, a instrutora Cristina Viana preparou uma série de vídeos, disponibilizada na página do Facebook do CON, para que você comece a obter os benefícios do yoga a partir de hoje.

Não importa se você é iniciante na prática ou até mesmo paciente oncológico: são séries de yoga para todos. Veja, a seguir, os temas dos vídeos divulgados pela instrutora e boa prática!

Aula 1: Posturas restaurativas

No primeiro vídeo da série, Cristina traz dicas para você restaurar as energias por meio da sua postura. 

Você deve escolher uma das opções apresentadas para acomodar o seu corpo de forma confortável, relaxar e gerar a restauração proposta. 

Para a execução, é importante contar com o auxílio de almofadas e travesseiros, que irão ajudar a manter o conforto na postura e o relaxamento.

Com a prática diária, você irá aumentar a sua qualidade de vida e ainda ajudará o seu sistema imunológico.

 

Aula 2: Respiração consciente

Conforme já abordamos acima, um dos principais benefícios do yoga é a melhora na qualidade da respiração, nossa principal fonte de energia.

Assim, ao tornar o ato de inspirar e expirar mais consciente, você consegue acalmar o seu fluxo de pensamentos e, consequentemente, trazer mais equilíbrio à rotina.

Assista ao vídeo e pratique o seu conteúdo todos os dias para observar as mudanças:

 

Aula 3: Começando bem o dia

Nesta aula, a professora traz movimentos simples que você pode realizar antes de levantar da cama todos os dias. 

Você irá acordar o seu corpo com qualidade e transmitir uma mensagem de saúde e vitalidade, mantendo boas vibrações ao longo do dia. 

Além disso, também irá aliviar tensões acumuladas em diversas partes do seu corpo.

Certamente, o seu tempo será mais produtivo e de maior qualidade ao inserir a prática na rotina diária.

 

Aula 4: Respiração alternada

A aula 4 é adequada para o momento desafiador causado pela pandemia do novo coronavírus e pelo isolamento social.

É normal surgirem sentimentos, como ansiedade e estresse, por conta da atual situação. No entanto, é possível evitá-los por meio do equilíbrio dos fluxos mentais, emocionais e energéticos.

Cristina traz a respiração alternada como prática que pode ser feita em qualquer momento do dia e sem contraindicações.

 

Aula 5: Respiração completa

Mais uma prática que irá ajudar a melhorar a sua respiração! No vídeo, Cristina apresenta todos os passos para se obter benefícios e resultados por meio da inspiração e expiração.

Você irá conseguir desacelerar a agitação mental, aumentar a sua capacidade pulmonar e levar a consciência ao momento presente.

Ao realizar o exercício com frequência, você irá aumentar a qualidade da sua respiração e das suas ações na rotina diária.

 

Aula 6: Introdução à meditação

Na aula 6, a instrutora apresenta alguns benefícios da meditação por meio das práticas apresentadas no vídeo.

Você irá expandir a sua consciência e a respiração, podendo observar a calma do seu fluxo de pensamentos, o equilíbrio e o aumento da qualidade de vida.

Se essa for a sua primeira experiência com a meditação, saiba que podem surgir momentos um pouco desafiadores por conta das distrações. Porém, basta voltar a consciência para a prática, com paciência e foco.

Além disso, a tendência é que as distrações sejam menos frequentes, conforme você consegue estabilizar a sua mente durante a prática.

Ao realizar a meditação com mais frequência você poderá dar continuidade ao exercício sem a necessidade de acompanhar o vídeo. Uma dica para esse futuro momento é: escolha músicas relaxantes, sons da natureza ou outro que lhe agrade e deixe a energia fluir, com paciência e muita calma.

 

Aula 7: Relaxamento guiado

O último vídeo da série de aulas traz um exercício de relaxamento consciente para que você consiga equilibrar as funções do seu corpo, da sua mente e as suas emoções.

Assim, você irá lidar melhor com pressões e cobranças presentes na sua rotina, além de trabalhar a aceitação em relação às situações que não podem ser controladas.

Assista ao vídeo e realize o exercício de relaxamento guiado para restaurar as suas energias!

 

Você percebeu que a prática do yoga é para todos? 

Se a sua resposta for sim, separe alguns minutos no seu dia para acompanhar os vídeos produzidos pela professora Cristina Viana.

É importante que a prática comece a fazer parte da sua rotina, para que você perceba os benefícios que as atividades propõem.

Comece hoje mesmo e viva uma vida de qualidade, consciência e plenitude. Você merece!

Comente nos vídeos ou aqui no Blog CON como tem sido a sua experiência com as aulas de yoga e compartilhe o conteúdo com os seus amigos e familiares.

E se você quiser saber mais, pode contactar a instrutora Cristina Viana pelo direct do Instagram: @cris_vianat 

 


como-evitar-que-os-sentimentos-negativos-afetem-o-tratamento-do-cancer.jpg?time=1594150508

2 de abril de 2020 Equipe CONCON0
  • Descubra como o estresse e a ansiedade podem ser combatidos para que não atrapalhem o restabelecimento da saúde

Você sabia que, durante o tratamento do câncer, nutrir pensamentos positivos pode ser um diferencial para o restabelecimento da saúde? 

Quando o paciente recebe o diagnóstico da neoplasia, é comum surgirem diferentes dúvidas e angústias, afinal, você é um ser humano! No entanto, esses questionamentos precisam dar espaço a uma mente otimista. 

Certamente, você já ouviu falar que “as palavras têm poder”, então, cultivar a positividade é fundamental para o sucesso do tratamento. Podemos citar o exemplo da artesã Katia Regina, que enfrentou dois cânceres ao mesmo tempo, algo raro na medicina. 

Sempre otimista, ela acredita que a sua positividade foi um dos fatores fundamentais para o sucesso do tratamento: “Se a gente achar que não vai dar certo, a probabilidade de dar errado é muito maior.”

Você pode ler (e se inspirar) com a história completa clicando na matéria abaixo:

Mas somos seres humanos com experiências de vida únicas, o que significa que cada pessoa pode reagir de uma forma após a descoberta do diagnóstico. 

Por isso, nosso objetivo neste artigo é te mostrar que é importante se manter otimista e sempre acreditar na sua possibilidade de cura, assim como nós acreditamos! 

Afinal, sentimentos negativos podem atrapalhar o restabelecimento da sua saúde, ou até mesmo tornar tal momento menos leve. Continue lendo para entender mais sobre o assunto. Boa leitura!

Vilões do tratamento do câncer: estresse e ansiedade


Conforme já citamos acima, receber o diagnóstico da neoplasia pode trazer muitas perguntas e dúvidas, como “Por que eu estou passando por isso?”. 

Sim, é normal se sentir confusa(o) e alarmada(o) diante de uma notícia que ninguém está preparado para receber, mas acreditar que é possível restabelecer a saúde é o primeiro passo para realizar um tratamento eficaz

Nesse momento, é importante buscar uma rede de apoio entre pessoas queridas, para que você se sinta mais forte e preparada(o) para as próximas etapas. Além disso, também é fundamental buscar atividades que proporcionam leveza e tranquilidade.

Seguindo essas dicas, você não irá dar espaço para um sentimento que pode atrapalhar o seu tratamento: o estresse.

Pesquisas apontam que ele pode ser um vilão para a eficácia do tratamento do câncer ao impactar a forma como o organismo reage aos medicamentos recebidos. 

Além disso, o sentimento também atrapalha o bem-estar e a qualidade de vida do paciente oncológico, fatores especialmente importantes durante essa etapa.  

Outra manifestação emocional que também é negativa para as pessoas que estão em busca da cura é a ansiedade.

O impacto do diagnóstico pode fragilizar o paciente a ponto de causar uma série de dúvidas sobre o futuro, como incertezas a respeito de diferentes aspectos, tais como:

  • Futuro da família;
  • Vida profissional; 
  • Insegurança em relação ao tratamento.

Nós compreendemos que seja normal o surgimento de questionamentos sobre esse período, mas acreditamos que encontrar acolhimento e se manter informada(o) sejam fundamentais para manter a tranquilidade e a qualidade de vida.

 

Informação e apoio: essenciais para um tratamento eficaz

Saber como vai ser o tratamento pode reduzir a angústia gerada pelo diagnóstico. Por isso, é muito importante tirar todas as dúvidas sobre o tratamento com o seu médico e com a equipe que irá te atender. 

Pessoas de confiança também podem ajudar bastante, pois irão auxiliar a absorver as informações necessárias divulgadas pelos médicos, que irão proporcionar segurança em relação aos próximos passos do tratamento

Podemos citar, também, que buscar ampliar o conhecimento sobre o câncer é uma forma eficiente de prevenir neoplasias e até obter o diagnóstico precoce, fundamental para o sucesso do tratamento.

Uma informação muito relevante e que deve ser destacada é que a medicina está cada vez mais avançada, o que possibilita um tratamento com mais qualidade de vida e menos efeitos colaterais. 

Assim, o paciente consegue inserir diferentes atividades à rotina sem prejudicar o seu tratamento. Tenha um diálogo aberto com o médico, tire suas dúvidas e saiba o que pode ser realizado ou não.

 

Como o CON atua nesse sentido? 

O CON acredita que saber ouvir e dar atenção são essenciais nessa etapa. É essencial acolher quem está passando pelo tratamento de câncer e, por isso, existem algumas ações desempenhadas em nossas unidades, que visam a qualidade de vida do paciente oncológico:

Oferece acolhimento, diálogo e terapia em grupo para quem enfrenta o tratamento do câncer de mama. Trata-se de uma oportunidade de se abrir, buscar conforto e contato com outras pessoas que passam pela mesma situação.

Reforçando o compromisso do CON em relação à parte emocional dos nossos pacientes e seus familiares, temos uma equipe de psicólogos que está pronta para oferecer suporte emocional, cognitivo e comportamental.

Além disso, o nosso site oferece diversas informações válidas para quem acabou de ser diagnosticado e deseja descobrir os primeiros passos para restabelecer a saúde. Você pode conferir em: 

 

Repassando o que vimos neste post

  • Durante o tratamento do câncer, nutrir pensamentos positivos pode ser um diferencial para o restabelecimento da saúde;
  • É importante prestar atenção ao estresse e à ansiedade: eles podem se tornar vilões do tratamento;
  • Para que sentimentos negativos não atrapalhem a nova rotina, é fundamental se manter informada(o) e buscar o apoio de pessoas queridas;
  • O CON oferece uma equipe de psicólogos, grupo terapêutico e informações em seu site para que o paciente oncológico obtenha maior qualidade de vida.

Gostou das nossas dicas? Sentiu falta de algum conteúdo neste artigo? Não deixe de escrever nos comentários!


os-pacientes-com-cancer-estao-sob-maior-risco-diante-da-pandemia-pelo-novo-coronavirus-covid-19-1200x675.jpg

Obtenha todas as informações que você precisa saber!

Inicialmente, é importante destacar que todos os indivíduos são suscetíveis e estão sob risco de contrair a Covid-19, não se sabendo previamente como cada um irá reagir e desenvolver complicações relacionadas à infecção, inclusive pacientes com câncer.

Embora uma publicação de fevereiro de 2020, de um grupo chinês na revista científica Lancet Oncology, aponte para um maior risco dos pacientes com câncer apresentarem complicações relacionadas à Covid-19, podemos dizer que tais dados não são suficientemente robustos para uma conclusão definitiva. 

O estudo recebeu críticas quanto à metodologia, pois a análise foi realizada em um grupo bastante heterogêneo de pacientes e com baixa casuística. 

Portanto, não está realmente claro se os pacientes com câncer constituem de fato um grupo de maior risco às complicações pela Covid-19, sendo precipitada qualquer conclusão.

Por outro lado, de acordo com os dados publicados por pesquisadores chineses, coreanos e italianos sabemos que os indivíduos mais suscetíveis a complicações são os idosos com doenças cardíacas, doenças pulmonares e/ou diabetes. 

Portanto, é importante destacar que essas comorbidades podem estar presentes nos pacientes com diagnóstico de câncer.

Pacientes com câncer e seus tratamentos, o que fazer?

Em relação aos pacientes com diagnóstico de câncer e que fazem acompanhamento e tratamento em regime ambulatorial (day clinic) as recomendações são bem específicas, devem ser analisados caso a caso e também levar em consideração a relação risco-benefício para ocorrer o deslocamento do paciente ao seu local de tratamento

Os pacientes que já concluíram os seus respectivos tratamentos oncológicos e se encontram em acompanhamento clínico ou realizando exames de imagem e/ou laboratoriais para vigilância, devem permanecer em suas residências e, portanto, manter o isolamento domiciliar e o distanciamento social orientados pelas autoridades sanitárias nacionais e internacionais. 

Preferencialmente e havendo disponibilidade, esses pacientes deverão realizar tele consultas com os seus médicos oncologistas ou hematologistas e com os demais profissionais de saúde que os assistem regularmente (nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas e farmacêuticos).

Em relação aos pacientes que se encontram em tratamento (quimioterapia, terapia alvo e imunoterapia), geralmente, a tendência é seguir com a programação já estabelecida pelo médico assistente responsável. 

Entretanto, algumas modificações podem ocorrer diante do caráter excepcional do momento pelo qual passamos, como prolongamento de intervalos dos ciclos de tratamento subsequentes, modificação para esquemas terapêuticos, onde o paciente tenha menos idas ao local de tratamento, adiamento do início de alguns tratamentos respeitando-se o diagnóstico e as comorbidades associadas de cada paciente e a realização de triagem via telefone e no dia anterior ao tratamento, relacionada a sinais e sintomas gripais.

Em resumo:

  • Compareça às consultas com somente 1 (um) acompanhante, que esteja sem sinais/sintomas gripais;
  • Lave as mãos regularmente com água e sabão;
  • Não leve as mãos ao rosto;
  • Mantenha o distanciamento social e o isolamento domiciliar, tentando se deslocar apenas para o essencial;
  • Somente procure o hospital em caso de febre que não cessa, tosse persistente e falta de ar;
  • A princípio, mantenha o seu tratamento oncológico, mas discuta com o seu médico a melhor conduta para o seu caso. 

As ações e o sacrifício são extremamente necessários para frear a disseminação do novo coronavírus e garantir a saúde e a sustentabilidade coletivas! Façamos a nossa parte!

Dr Bruno de Araújo Lima França

Diretor Médico CON

Oncologista Clínico

WEBINAR CON AO VIVO CORONA VÍRUS
WEBINAR CON AO VIVO CORONA VÍRUS

coronavirus-o-que-voce-realmente-precisa-saber-1200x461.jpg

27 de março de 2020 Equipe CONCON0

As principais dicas e orientações sobre os cuidados com a COVID-19.

O coronavírus é um assunto que ganhou relevância nos últimos meses, após o registro do primeiro caso em Wuhan, China, em dezembro de 2019.

Desde então, diversos países viram o aumento progressivo do número de pessoas infectadas pelo vírus SARS-CoV-2. Por isso, a Organização Mundial da Saúde, OMS, classificou o surto da COVID-19 como pandemia. 

No Brasil, diversas medidas têm sido tomadas para a prevenção e combate ao novo coronavírus. Para que haja o controle do número de casos até a sua redução, é fundamental que cada um faça a sua parte.

O que devo fazer para não pegar coronavírus?

A dica mais importante é: FIQUE EM CASA

O isolamento é uma das principais medidas adotadas em todos os países que possuem registros de casos da COVID-19.

Por ser uma doença infecciosa, uma vez que você entra em contato com alguém que foi infectado pelo SARS-CoV-2, mesmo que a pessoa não apresente sintomas, o risco de contágio é alto!

O CON é seu aliado na prevenção ao coronavírus!

Como você já sabe, as ações preventivas são sempre a melhor escolha para evitar o surgimento de doenças.

E é claro que o CON não iria deixar de trazer as principais orientações para este momento.

Acesse agora mesmo o nosso material “Coronavírus: o que você realmente precisa saber!” e veja todas as dicas da nossa equipe.

Apenas os idosos devem se preocupar com o coronavírus?

Embora os idosos façam parte do grupo de risco da COVID-19, eles não são a única parcela da população que deve tomar os cuidados necessários contra o vírus. 

Pessoas mais jovens, que possuem hábito de circular em transportes públicos e locais com aglomeração também estão suscetíveis a entrar em contato com vírus. 

Por mais que a imunidade esteja fortalecida nesta fase e o coronavírus não traga graves prejuízos à saúde destas pessoas, vale lembrar que o adulto pode ser um portador do vírus, ajudando a disseminá-lo para os grupos de risco.

Além disso, outros grupos que devem tomar cuidado com o SARS-CoV-2 são: hipertensos, fumantes, diabéticos e asmáticos.

Os cuidados com a saúde começam pelas mãos: previna-se!

Você sabia que lavar as mãos é uma ação eficaz para manter a qualidade de vida em dia?

Em tempos de prevenção ao coronavírus, é fundamental que a higienização correta das mãos faça parte da sua rotina, especialmente se você sair de casa, seja para ir ao mercado ou à padaria, por exemplo. 

Mas é importante reforçar que não basta abrir a torneira e molhar as mãos: elas precisam ser lavadas da forma correta. O CON preparou um post com todos os passos para uma limpeza completa dos pulsos à ponta dos dedos.

E não se esqueça do álcool em gel! O produto é responsável por potencializar o combate aos vírus e bactérias que podem entrar em contato com a superfície das mãos.

A prevenção pode salvar a sua vida e a de muitas pessoas. Previna-se e compartilhe este post!

Baixe o nosso guia de prevenção ao coronavírus!

O material preparado pela equipe do CON traz as principais informações sobre a doença infecciosa, como:

 

  • O que são coronavírus; 
  • Como se transmite; 
  • Sinais e sintomas; 
  • Como se prevenir. 


informe-do-con-em-relacao-a-pandemia-pelo-novo-coronavirus-covid-19-14-03-2020-1200x1201.jpeg

O CON – Oncologia, Hematologia e Centro de Infusão, baseado nas informações disponibilizadas pela Organização Mundial de Saúde, pelo Ministério da Saúde, pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica e pela comunidade científica, e comprometido em promover a saúde, garantir o melhor cuidado aos nossos pacientes e a seus familiares e cuidadores e também em orientar de maneira criteriosa e responsável a população de forma geral, recomenda as seguintes medidas preventivas em relação à pandemia pelo novo coronavírus (COVID-19).

A toda a população:
– Manter a higiene frequente das mãos com água e sabão/sabonete ou preparação alcoólica (álcool em gel) diversas vezes ao dia.
– Evitar tocar olhos, nariz e boca sem higienização adequada das mãos.
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, com cotovelo flexionado ou utilizando-se de um lenço descartável.
– Evitar ambientes fechados e principalmente aglomerações.
– Nesse momento, somente tem indicação de realizar o exame para o diagnóstico de COVID-19 quem estiver com determinados sintomas como febre, tosse, dor no corpo, falta de ar e tiver entrado em contato com caso suspeito ou confirmado de COVID-19 ou tiver histórico de viagem ao exterior nos últimos 14 dias.
– Destacamos que as pessoas com qualquer sintoma de gripe e que tiveram contato com indivíduos na mesma condição ou aquelas que tenham o diagnóstico confirmado de coronavírus (COVID-19) devem evitar se aproximar de demais pessoas. A recomendação é para que fiquem em casa.
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
– Vacinar contra o vírus influenza (vacina da gripe), seguindo o novo cronograma do Ministério da Saúde a partir de 23 de março de 2020. Os idosos e profissionais de saúde devem se vacinar em 23 de março de 2020. Os portadores de doenças crônicas (câncer) devem se vacinar em 16 de abril de 2020.
– É importante destacar que o uso de vitaminas, produtos naturais ou métodos alternativos não são recomendados, pois não apresentam eficácia comprovada e não substituem as medidas preventivas já estabelecidas ao novo coronavírus.

Aos pacientes com diagnóstico de câncer é muito importante destacar:
– Não interromper os seus respectivos tratamentos oncológicos.
– Evitar o contato físico, como os cumprimentos com aperto de mão, beijos e abraços.
– Evitar contato com qualquer pessoa que tenha sintomas gripais ou que esteja em investigação para possível infecção pelo novo coronavírus.
– Evitar contato com pessoas que estejam chegando do exterior, com ou sem sintomas gripais.
– Caso apresente um dos seguintes sintomas, favor contatar o seu médico: Febre, coriza, tosse seca, falta de ar.

Nos hospitais, centros médicos, nas clínicas e consultórios:
– Evitar contato físico direto, com o seu médico, a equipe de saúde e com todas as pessoas que circulam pelo ambiente hospitalar.
– Permanecer somente o tempo necessário na estrutura de saúde.
– Os pacientes que são submetidos a tratamento e/ou que realizam consultas em clínica de oncologia devem comparecer somente com um acompanhante e este não apresentando sintomas de gripe.
– As visitas hospitalares a familiares, amigos, etc. devem ser reconsideradas, sendo restritas a situações muito específicas e estritamente necessárias.

A pandemia relacionada ao coronavírus merece total atenção das lideranças e das estruturas de saúde pública e privada, pois as consequências de uma falta de ação célere, integrada e preventiva podem trazer gravíssimas consequências e o colapso do sistema de saúde.

A implementação de precauções de forma padronizada e coordenada constitui a principal medida de prevenção da transmissão entre pacientes, profissionais de saúde e a população em geral e deve ser adotada pensando-se no cuidado coletivo. Atualmente não existe vacina para a prevenção de infecção por coronavírus (COVID-19), então a melhor maneira de prevenir é evitar a exposição ao vírus.

Sabemos que os indivíduos de maior risco são os idosos frágeis e os portadores de doenças crônicas (comorbidades), onde destacamos os pacientes com câncer. Nesses pacientes as alterações de imunidade decorrentes do próprio câncer, de estados de pós operatório, pelos diversos tipos de tratamento (quimioterapia, corticoterapia, hemoterapia, transplante de medula e radioterapia) os classificam como pacientes com alto risco de complicações em caso de infecção pelo novo coronavírus (COVID-19). O alerta é necessário, sendo essencial agirmos de forma preventiva, criteriosa, padronizada e coletiva.

Estaremos atentos às atualizações e novas recomendações das autoridades especializadas visando sempre ao melhor cuidado e à segurança de todos.

Dr Bruno de Araújo Lima França
Diretor Médico CON

Fontes:
– Organização Mundial de Saúde
– Ministério da Saúde
– Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica
– Fundação Osvaldo Cruz
– New England Journal of Medicine


CON - Oncologia, Hematologia e Centro de Infusão - Todos os direitos reservados Copyright 2020